Disfunções sexuais femininas

Disfunções sexuais femininas

Terapeuta

A Dr.ª Rita Torre é Psicóloga, licenciada em Psicologia pela Universidade do Minho, com 15 anos de experiência em processos de Terapia de Casal e Sexualidade, Ansiedade, Depressão, Obssessão Compulsão(POC), Adição a Drogas, Álcool e Jogo. 

Dá consultas presenciais por todo o Norte de Portugal e agora tambem por videoconferência para todo o mundo. Para além da lingua portuguesa é também bastante fluente na lingua inglesa tendo já bastante experiência com clientes internacionais.

Sobre as Disfunções sexuais

A sexualidade é uma componente essencial da vida do ser humano. Tem influência na sua saúde física e psicológica. Afeta o modo como interagimos com os outros e como nos relacionamos em sociedade. Masters e Johnson (1966) afirmam pela primeira vez que a resposta sexual feminina é composta por quatro fase: excitação, planalto, orgasmo e resolução. Mais tarde Kaplan cria o modelo trifásico: desejo, excitação e orgasmo. Etiologicamente, a disfunção sexual feminina tem raízes interpessoais, biológicas e psicológicas. Gravidez, amamentação e menopausa são algumas das causas físicas associadas, mas também certas comorbilidades com a diabetes, a depressão e a doença da tiroide podem causar disfunção sexual. O abuso de drogas , álcool ou o uso de certos fármacos como anti-depressivos e benzodiazepinas podem também estar associados (Cerejo, 2006).

As disfunções sexuais na mulher podem incluir:

Diz-se que alguém apresenta uma disfunção sexual quando há uma perturbação clínica significativa na capacidade da pessoa experimentar resposta sexual ou ter prazer no ato. As dificuldades podem ser decorrentes de estimulação inadequada que deve ser avaliada e tratada pelo técnico (DSVM-5, 2014).

Disfunção sexual por aversão ou fobia sexual

Esta disfunção caracteriza-se por uma esquiva persistente ou recusa de qualquer contacto genital ou sexual com os parceiros sexuais que causa sofrimento ou dificuldade interpessoal. O individuo pode ter fantasias eróticas mas é geralmente avesso a qualquer atividade erótica. 

Disfunção da excitação

Esta disfunção caracteriza-se por uma incapacidade persistente ou recorrente de adquirir ou manter resposta de excitação sexual de lubrificaçãoturgescência até à conclusão do ato sexual causando dor na penetração e consequente irritação vaginal.

Perturbação do orgasmo

Esta disfunção caracteriza-se por um atraso ou ausência persistente de orgasmo após uma fase normal de excitação sexual, o que causa sofrimento ou dificuldade interpessoal 

Dispareunia

Esta disfunção caracteriza-se por dor genital recorrente ou persistente associada ás relações sexuais. A perturbação causa acentuado sofrimento ou dificuldade interpessoal 

Vaginismo

Esta disfunção caracteriza-se pela ocorrência de um espasmo involuntário recorrente ou persistente da musculatura do terço inferior da vagina, que interfere no intercurso sexual causando acentuado sofrimento ou dificuldade interpessoal.

Testemunhos

"Foi muito útil ter um espaço neutro e de orientação no tratamento das questões relacionadas com o meu companheiro. A sessão com a Dr.ª Rita Torre permitiu navegar através de vários aspectos da nossa relação que precisavam de ser transmitidos e partilhados." (Anónimo)

Marque aqui a sua consulta! 

Nós Podemos ajudar a melhorar rapidamente a sua qualidade de vida!

Bibliografia:

American Psychiatric Association. (2014). DSM-5: Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais (5ªed.). Artmed Editora.

Cerejo, A. C. (2006). Disfunção sexual feminina: prevalência e factores relacionados. Revista Portuguesa de Medicina Geral e Familiar, 22(6), 701-20.

Ferreira, A. L. C. G., Souza, A. I., Ardisson, C. L., & Katz, L. (2007). Disfunções sexuais femininas. Femina35(11), 689-95.